quarta-feira, 4 de maio de 2011

Vem?




Vem?


Já decorei a porta do seu quarto

Os seus pertences estão bem guardados

Estou te esperando, meu bem!

Vem!


O meu amor por você é um ato impensado

Incondicional, está bem guardado,

E não pertence a outrem.

Vem!


A tua demora em vir me deixa agonizado

O coração transborda, fica transpassado!

Estou te esperando meu bem!

Vem!


Você marcou presença com ato confirmado.

Depois você partiu deixando-me arrasado!

Estou te esperando, meu bem!

Vem!


Você é meu maior bem, tesouro conquistado.

A chance de te ter é valor inestimável.

Estou te esperando, meu bem!

Vem!


Já contei infindáveis noites perguntando ao acaso

Por que esta demora, o que é certo, o que é errado?

Estou te esperando, meu bem!

Vem!


Vem quando?


Karina Aldrighis

2 comentários:

  1. Muito gostoso de ler este teu poema, Karina; parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelas visitas,Afonso! Beijos

    ResponderExcluir